Mohamed Ali e a cachoeira de amor - O Cafezinho

O Cafezinho

sexta-feira

11

agosto 2017

31

COMENTÁRIOS

Mohamed Ali e a cachoeira de amor

Escrito por , Postado em Direitos Humanos, Pedro Breier, Rio de Janeiro



(Mohamed curtindo o Rio de Janeiro. Foto: Reprodução/Facebook)

Por Pedro Breier

Na semana passada, Mohamed Ali, um imigrante sírio que vendia pacatamente suas esfirras na esquina da Rua Santa Clara com a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, no Rio de Janeiro, foi agredido verbalmente, ameaçado e teve suas mercadorias derrubadas no chão por outros vendedores de rua.

“Sai do meu país! Eu sou brasileiro e estou vendo meu país ser invadido por esses homens-bomba miseráveis que mataram crianças, adolescentes. São miseráveis. Vamos expulsar ele!”, disse um dos homens, enquanto brandia dois pedaços de madeira.

A xenofobia foi a desculpa para expulsar Mohamed de um concorrido ponto de vendas. O vil metal está quase sempre por trás das piores atitudes dos seres humanos.

A cena foi filmada e viralizou. Foi criado, então, um evento no Facebook, marcado para amanhã (12/08): “Comer esfiha na barraca do Mohamed“.

Mais de 40 mil pessoas confirmaram presença ou demonstraram interesse no evento até agora. Haja esfirra, porque parece que a coisa vai rolar mesmo. Foi criada também uma vaquinha virtual para Mohamed comprar um food truck.  Ele foi avisado do evento e agradeceu de forma tocante:

Uma cachoeira de amor que não acaba… Bonito, né?

Em tempos de tanto ódio como o que vivemos, quando amar ao próximo é tão demodê, como disse Renato Russo em Baader-Meinhof Blues, uma reação dessas a mais um episódio triste de intolerância serve para renovar a esperança em dias melhores.

O amor é mais que apenas um sentimento: é simplesmente a verdade universal.

Afinal, segundo a teoria do big bang – a mais aceita para a origem deste universo – toda a matéria e energia estavam, no princípio dos tempos, concentradas em um pequeno ponto. Ou seja, nós e tudo o que existe somos uma coisa só. Estamos apenas ilusoriamente separados.

Quando todos compreendermos este fato e que, consequentemente, amar ao próximo como a si mesmo é o segredo da vida, não haverá barreira de intolerância que seja capaz de segurar a cachoeira de amor universal.

Loading...

sexta-feira

11

agosto 2017

31

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

31 COMENTÁRIOS

  1. Raphael Sanches
  2. Rachel
  3. maria nadiê rodrigues
  4. Maria Roland
  5. Keila Moura
  6. rogerio
  7. Diana
  8. willian rafael
  9. Jotacepinto
  10. a.ali
  11. Brito
  12. José Rocha
  13. Danilo Prociuk