O Cafezinho

sábado

1

abril 2017

24

COMENTÁRIOS

Globo e PSDB não sabem o que fazer com os defuntos terceirizados

Escrito por , Postado em Redação, Wellington Calasans

Por Wellington Calasans, Colunista do Cafezinho, na Suécia

Ocultar os cadáveres (político e jurídico) é uma necessidade cada vez maior da Globo e do PSDB, mas o trabalho sujo para o qual foram terceirizados o eterno figurativo e o juiz parcial de Curitiba ainda não está completo e eles seguem como zumbis. No tiroteio contra o Brasil e o povo, Globo e PSDB querem cair atirando.

No dia que o brasileiro foi às ruas dizer não às reformas, Temer revogou a Lei Áurea. Globo e PSDB sabem que cruzaram a fronteira mais visível da luta de classes e terão que pagar por isso. O povo está com sangue nos olhos. Cientes disso, mesmo como zumbis, Temer e Moro são usados pela Globo e PSDB para a destruição total, mas dificilmente vão conseguir.

Se é verdade que do rompimento democrático que afastou Dilma nasceram sucessivos golpes contra o Brasil e contra os brasileiros, é também verdade que das estruturas que bancaram o golpe e que ainda sustentam os terceirizados (des)governo Temer e a ilegal Lava Jato, a Globo e o PSDB são as que mais sofrem desgaste junto aos cidadãos. Globo e PSDB são a face e o cérebro deste quadro de decadência da política e da justiça brasileira.

Por serem parte ativa deste momento de vergonha, o PSDB definha nas pesquisas de opinião pública e a Globo já foi identificada como a artífice do retrocesso, fator que tem mudado “a batalha das ruas”. A “Juventude do Levante” foi ao endereço certo no dia 31 de março e com a crescente revolta popular, ambos, PSDB e Globo, não sabem o que fazer para ocultar os cadáveres, Temer e Moro.

As recentes pesquisas mostram que o Brasil está sem presidente, pois o povo não reconhece em Temer o seu legítimo representante. Terceirizado pela Globo e PSDB para atender aos abutres do mercado, toda e qualquer medida de Temer deverá em breve ser revista através de plebiscito. Não há outra forma de manter o país em ordem após este ataque canalha que tenta impor a pauta reprovada seguidas vezes nas urnas.

A terceirização de Temer teve o suporte da Lava Jato, que no cinema será apresentada aos desatentos como o que sempre foi: um entretenimento. Uma operação liderada por um juiz, também terceirizado pela Globo e PSDB, que foi apresentado como herói do combate à corrupção no Brasil. Hoje, a operação é revelada como blindagem de corruptos, destruição da indústria nacional e instrumento de perseguição política. Por isso, ao lado de Temer, Moro é mais um cadáver que fede na sala da Globo e PSDB.

Rasgada a Constituição Cidadã, a luta para a manutenção dos direitos tende a ser ampliada. A Greve Geral do dia 28 de abril já dá sinais claros de adesão total. O “esquenta” do dia 31 de março foi mais forte do que o esperado. Sem proposta para o povo e desafiando-o a todo instante com novas perdas de direito, o terceirizado da Globo e PSDB já está em decomposição e o ninguém suporta o seu mau cheiro. Enquanto isso Moro finge punir Cunha, mas todos sabem que apenas impõe o seu silêncio.

Globo e PSDB mergulharam o Brasil na pior crise da sua história. Já estão marcados por isso. Temer e Moro foram as apostas mais ousadas do assalto ao poder. Mentiras, calúnias e sabotagens contra Dilma e Lula foram apenas o aperitivo para este prato principal de entrega do Brasil e destruição do estado social. Toda aposta tem um preço e a conta a ser paga pela Globo e PSDB será salgada. A Greve Geral será um divisor de águas na nossa história.

sábado

1

abril 2017

24

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24 COMENTÁRIOS

  1. Ruan
  2. Claudio
    • Jorge Roberto Guimarães
      • Ruan
  3. Anônimo
  4. Pedro Paulo de Souza
  5. Luiz Carlos P. Oliveira
  6. Luiz Carlos P. Oliveira
  7. Brasileiro
  8. Brasileiro
  9. EME
  10. Brasileiro
  11. Marco
  12. MARCIO SPÍNOLA
  13. Neusa maria soares benevides
  14. Messias Franca de Macedo
  15. Daniel
  16. PEDRO SANCHES
  17. Perola