O depoimento de Emilio Odebrecht à Folh... ops, à Lava Jato - O Cafezinho

O Cafezinho

segunda-feira

13

março 2017

49

COMENTÁRIOS

O depoimento de Emilio Odebrecht à Folh… ops, à Lava Jato

Escrito por , Postado em Redação

A Lava Jato é uma piada de humor negro.

A reportagem da Folha sobre o depoimento do oligarca da Odebrecht, o velho Emilio Odebrecht, termina com uma informação interessante:

Só que a reportagem já tinha vazado o seu conteúdo! A Folha explica que o vídeo foi “acessado pela Folha por uma falha da Justiça Federal”.

É a suruba total.

A reportagem tem um outro exemplo maravilhoso desse jornalismo pós-verdade que caracteriza o nosso tempo.

Entenderam? O patriarca “não tem dúvidas” de que Palocci “pode ser sido um dos operadores do PT”.

Aliar a expressão “não ter dúvidas” a uma frase na condicional é outra novidade dos tempos modernos.

O regime de exceção não se limita a judiciário. Invadiu também a sintaxe. Eu “não tenho dúvidas” de que a Folha “pode” ter distorcido o depoimento de Emílio a Sergio Moro.

Sobre o conteúdo em si do depoimento de Emilio Odebrecht, é inacreditável que a Lava Jato tenha destruído a maior empresa brasileira de engenharia, além de tê-la entregue aos chacais estrangeiros, para ouvir platitudes como a de que “sempre houve caixa 2 no Brasil, para todos os partidos”.

A economia afunda na maior depressão de sua história, os vampiros do congresso avançam sobre os direitos sociais, os lobisomens do judiciário avançam contra os direitos individuais, e os jornalões não falam de uma coisa nem outra, apenas da Lava Jato.

Ninguém propõe nada para recuperar a economia brasileira.

A mesma reportagem traz outro depoimento, de outro executivo da Odebrecht, também “vazado” por “falha do sistema de vídeo”.

Ela traz uma “opinião” interessante do executivo da Odebrecht, que revela o viralatismo profundo que assola a nossa burguesia.

De acordo com o executivo, as indústrias nascem por combustão espontânea, e não por investimentos privados e públicos. Se os chineses seguissem tal raciocínio, teriam limitado suas ambições e se restringido à plantar arroz.

Ora, se não havia mão-de-obra especializada, esta poderia ser formada. E foi. Se não havia tecnologia, esta poderia ser importada e aprendida. E foi. O “único cliente”, a Petrobrás, era simplesmente a maior empresa do país e uma das maiores empresas de petróleo do mundo. Após os investimentos do governo, da Petrobrás e do setor privado, a indústria brasileira de navegação renasceu, floresceu, gerou dezenas de milhares de empregos, prosperidade para cidades inteiras, arrecadação fiscal, estabilidade, até que veio a Lava Jato e, zás, destruiu tudo.

 

segunda-feira

13

março 2017

49

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

49 COMENTÁRIOS

  1. kaka
  2. Leonardo Leão
  3. Doris Gibson
  4. Eliani Marchiori Borsato Barreto
  5. Jose carlos lima
  6. Jose carlos lima
  7. José Luiz R. Dos Santos
  8. Gualberto Cesar dos Santos
  9. RENATO
  10. Áurea Lúcia
  11. josé Antonio
  12. Mário Antonio
  13. Messias Franca de Macedo
  14. Sérgio Rodrigues
  15. Crazy Fla
  16. WG
  17. Anticomuna
  18. robertoAP
  19. Adilson
  20. GERALDO RIBEIRO
  21. Pedro
  22. Luiz B. de Almeida
    • robertoAP