Expostos ao ridículo e humilhados, procuradores de Curitiba estão se escondendo da mídia - O Cafezinho

O Cafezinho

terça-feira

20

setembro 2016

49

COMENTÁRIOS

Expostos ao ridículo e humilhados, procuradores de Curitiba estão se escondendo da mídia

Escrito por , Postado em Bajonas Teixeira, Lava-Jato, Mídia

Por Bajonas Teixeira, colunista de política do Cafezinho

Uma avalanche de sarcasmos, ironias e piadas, após a apresentação em Powerpoint da Denúncia contra Lula, deixou os procuradores da Lava Jato traumatizados e em pânico diante das respostas pedidas pela mídia e pela sociedade. Embaraçados pelas questões que não conseguem responder, buscaram se abrigar longe dos olhares do público.

Ao tentar falar com os procuradores, que apresentaram no dia 14, quarta-feira, a Denúncia contra Lula, a reportagem da Folha ouviu da sua assessoria de imprensa que “eles não estão atendendo a imprensa nesta semana”.

A resposta, além de cômica, é inaceitável, já que os procuradores públicos não podem se furtar a dar à sociedade esclarecimentos, ainda mais quando pretenderam, no show-coletiva usado como palco para a Denúncia, ter desmontado o maior (e único) esquema de corrupção da história do país. Como se esconder logo depois disso?

Como é possível que, tendo acabado de oferecer a denúncia capital contra todo o gigantesco, tentacular e conspiratório (tudo teria sido montado para perpetuar o PT no poder) esquema de corrupção, na semana seguinte, esses paladinos da justiça resolvam que não vão atender a imprensa?

É uma atitude tão desequilibrada quanto foi a apresentação histriônica da Denúncia. Mas é compreensível quando se observa que a reação geral, mesmo daqueles que nutriam as maiores esperanças de ver Lula e o PT liquidados com a denúncia, oscilou da incredulidade inicial para a aberta ironia ou total silêncio, ao fim.

Não é exagero dizer que os procuradores da Lava Jato, se saíram pior que os chamados “Três Patetas do MP de SP” que, em 11 de março, pediram a prisão de Lula para garantir “a ordem pública, a instrução do processo e a aplicação da lei penal”. Naquela época, ao confundirem Engels com Hegel, e cometerem outras asneiras do gênero, os moços paulistas foram fartamente ridicularizados.

Ninguém fez a comparação, mas quem recorde o episódio, concluirá que os procuradores de Curitiba conseguiram superar os colegas de São Paulo. E, nada mais compreensível, já que os federais estão acima dos estaduais.

O ataque veio de todos os lados. A primeira motivação foi a mais visível, o Powerpoint tosco. Depois, foram as ridículas representações gráficas que apontavam para Lula no centro do esquema. Tão insípidas e apelativas, que causaram mal estar até nas fortalezas do golpe. O UOL no dia seguinte, trazia uma matéria ilustrada com aberta ironia aos procuradores:

untitled-15

 

Enquanto o escárnio com o powerpoint viralizava, começou a circular, ainda na tarde do dia 14, os questionamentos à falta de provas e, junto com isso, ao conceito de prova inventado ou adotado pelos procuradores: “”Provas são pedaços da realidade, que geram convicção sobre um determinado fato ou hipótese.” Logo após a coletiva, publicamos no Cafezinho o artigo A Lava Jato contra Lula – Denúncia delirante apoiada em provas imaginárias comentando o absurdo dessa definição.

Logo depois, começou a circular a frase atribuída aos procuradores, “não temos prova, mas temos convicção”. Tudo isso gerou milhões de piadas, memes e comentários nas redes.

A Globo tentou defender, fazendo uma matéria especialmente dirigida a demonstrar que os procuradores não disseram isso.

Depois, veio um batalhão de juristas para criticar a falta de provas e outros defeitos da Denúncia inepta, que a Folha resumiu assim:

Entre os pontos fracos da denúncia, dizem, estão a fragilidade das provas, o fato de Lula ser apontado como chefe de uma quadrilha, mesmo sem ser denunciado por isso, e a espetacularização da ação dos procuradores.

Até o presidente da OAB criticou o show e a espetacularização dado pelos procuradores.

Vendo que não podia defender os seus bravos espadachins da Lava Jato, a Globo caiu num mutismo profundo, esquecendo que dois dias antes Lula, figura tão pouco grata à emissora, havia sido objeto de denúncia tão estridente. Embora na quarta e na quinta-feiras seus comentadores tivessem pintado o apocalipse para Lula e o PT, de repente, desde a sexta-feira, o toque de silêncio se impôs. Desde muito cedo na manhã de sexta, a morte trágica do ator Domingos Montagner dominou toda a home do G1, o que se repetiu no sábado e no domingo, e em boa parte dessa segunda-feira, 19.

Na home do G1 cedo, na sexta-feira, 16, havia 12 matérias relacionadas à morte do ator, e nenhuma sobre a Denúncia contra Lula. Enfim, sendo ridicularizados por todos os lados, sem contar com o apoio luxuoso da sua maior promotora de eventos, a Globo, os denunciantes da Lava Jato se recolheram em cava depressão.

Mesmo para seus maiores entusiastas, para o conjunto da mídia, a única palavra para definir o sentimento geral deixado pelo show de Powerpoint e falsas provas que apresentaram é essa: vergonha. Por isso, esses bravos rapazes deram no pé.

Enfim, depois do trio de São Paulo que pediu a prisão em 11 de março, agora os artistas do MPF de Curitiba, nos fazem ver que não é tão fácil liquidar Lula e a democracia. Trata-se de uma luta titânica para a qual esses nanicos não parecem nem um pouco apetrechados.

MÁQUINA CRÍTICA pela Democracia e contra o Golpe
Bajonas Teixeira
Caros leitores, Os convido a visitar e curtir a página MÁQUINA CRÍTICA. Nosso desejo é mobilizar o pensamento crítico em favor da democracia, sem esquecer outros temas e debates que importam. Ps: Continuaremos normalmente nossa colaboração com O Cafezinho, que está nos apoiando nesse projeto. Abraços,

 

terça-feira

20

setembro 2016

49

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

49 COMENTÁRIOS

  1. Li Cardoso
  2. Mariano
  3. Magda ferreira santos
  4. cicero s c
  5. Geraldoribeiro Magela
  6. mario roque
  7. hb cwb
  8. Gringani Crestani
  9. Cesar Weinmann
  10. Pafúncio Brasileiro
  11. Mario CBS
  12. Marcos
  13. Claudio
  14. João Ostral
  15. Rogério Bezerra
  16. João Ostral
    • Jst
  17. nelodecarvalho
    • Osmar Gonçalves Pereira
  18. Denise Espirito Santo
  19. Rosimar Gonçalves
  20. Pedro Pedro
  21. Pedro Pereira
    • André Crasoves
    • Elisa
      • Jst
        • Elisa
      • Adyneusa Moura Oliveira
      • ari
        • Osmar Gonçalves Pereira
      • Roberto Caetano
  22. Ana Maria Schirmer
  23. Esmael Leite da Silva
    • Maria Thereza G. de Freitas
    • Fredson Melo
    • Claudio
    • Osmar Gonçalves Pereira