A dobradinha Globo, governo e Lava Jato para consolidar o golpe - O Cafezinho

O Cafezinho

quinta-feira

21

julho 2016

16

COMENTÁRIOS

A dobradinha Globo, governo e Lava Jato para consolidar o golpe

Escrito por , Postado em Análise de Conjuntura

Análise Diária de Conjuntura – 21/07/2016

Não subestimemos o golpe no Brasil. Ele é sofisticado. Aliás, devíamos ter orgulho disso. Países atrasados como a Turquia ainda sofrem golpes militares, conceitualmente toscos e por isso mesmo relativamente fáceis de serem vencidos. Nós, não. Nós somos um país avançado!

Não creio que o governo da Turquia tenha armado um golpe contra si mesmo, porque neste caso seria absurdo ele reprimir os golpistas que, em tese, seriam seus aliados. Mas ele pode ter estimulado os golpistas a tentarem a sorte, já imaginando a oportunidade de dar a volta por cima e se livrar de seus inimigos.

Por outro lado, como ele poderia prever que a população iria às ruas defendê-lo, e que mesmo os partidos de oposição cerrariam fileiras a seu lado, contra o golpe?

Enfim, o golpe na Turquia usou técnicas ultrapassadas. Um golpe moderno precisa seguir o modelo brasileiro: ser construído paulatinamente, para que se consolide de maneira hegemônica, antes, na opinião pública.

O golpe no Brasil simboliza uma nova era de golpes no mundo. Governantes que não forem palatáveis ao grande capital, serão destituídos por qualquer conspiraçãozinha vagabunda que consigam apoio dos parlamentos. E o apoio dos parlamentos, consegue-se com relativa facilidade quando se constrói uma boa campanha midiática.

Os parlamentares, à diferença de um presidente, não tem força individual para enfrentar a mídia.

Entretanto, o golpe no Brasil, mesmo sofisticado, tem seus defeitos e contradições. Justamente por ser tão sofisticado, ele precisa da mídia, por exemplo. Durante os primeiros dias de governo, a imprensa até tentou disfarçar, fazendo algumas críticas, derrubando alguns ministros. Era uma espécie de lua-de-mel às avessas.

Com Temer, a lua-de-mel não veio nos primeiros dias de governo e sim depois. De umas semanas para cá, temos testemunhado uma guinada impressionante da imprensa nacional.

A crise econômica acabou. Os jornalões agora estampam manchetes positivas e os colunistas econômicos destacam o retorno das boas expectativas.

A Lava Jato parece ter ameaçado o governo, nos primeiros dias, apenas porque ela notou que este alimentava a ilusão de impor um pouco de ordem ao golpismo judicial. Foi uma escaramuça entre golpistas. Já passou.

É um golpe sofisticado, mas depois de dois anos de Lava Jato, tudo se tornou bem previsível. Para amarrar a narrativa, as delações que envolvem tucanos são vazadas antes mesmo de acontecerem, num contexto bastante controlado. Assim a imprensa dá algumas manchetes: “fulano delatará Serra”, “sicrano delatará Aloysio Nunes”, “beltrano delatará Alckmin”. É divertido ver a imprensa sair do futuro do pretérito, quando abusava dos “fulano teria dito”, “sicrano teria relatado que viu um petista roubando uma velhinha cega”, para o uso do verbo no futuro. Com certeza, é uma evolução! Ela está mais confiante!

As delações da Lava Jato são como vírus contagiosos, que devem ser manipulados por uma equipe especializada, usando trajes especiais.

Hoje a equipe da Lava Jato comunicou à imprensa que tentará indiciar Lula por tentativa de obstrução da Lava Jato. A obsessão por Lula é algo impressionante. A Lava Jato vai atrás do sítio que Lula visitava, do apartamento que ele queria comprar, fica durante semanas vazando intimidades do ex-presidente, pratica todo o tipo de brutalidade contra ele e sua família, expondo telefonemas íntimos na grande imprensa, e quando o presidente tenta se defender, a Lava Jato tenta indiciá-lo por “obstrução de justiça”!

Que justiça, é importante se perguntar?

Não é preciso ser vidente para saber que as próximas semanas serão decisivas para Michel Temer.

A Lava Jato deve voltar a produzir conteúdo pró-golpe.

As torturas prisionais impostas à Marcelo Odebrecht, há mais de um ano preso na masmorra de Sergio Moro, e ao casal Santana (João e Mônica), devem ter sido intensificadas para que possam enfim produzir um ataque final – uma delação bombástica, mesmo que sem base em provas – antes da votação do impeachment.

(Atualização 22/07 10:35 AM: dito e feito! A tortura imposta não apenas a João Santana, mas sobretudo à sua esposa, já o fizeram admitir “caixa 2” na campanha de Dilma em 2010. São as manchetes de hoje. O golpe está garantido. )

Gilmar Mendes deve estar se movimentando, para oferecer também alguma carne às feras.

A Globo, enquanto isso, faz dobradinha com o ministro da Justiça sobre a prisão de “suspeitos de terrorismo”, em que meia dúzia de paspalhões cujo único crime foi acessar sites do Estado Islâmico, são oferecidos à mídia como bandidos perigosos.

Pior: o ministro da Justiça cita a deportação do professor de física da UFRJ e cientista Adlène Hicheur, um caso ridículo de falsa acusação, para afirmar à imprensa:

“Com a prisão deles e a deportação [do professor] nós afastamos os dois únicos focos, que já estavam sendo rastreados, de possibilidade ainda que remota de terrorismo das Olimpíadas”

ScreenHunter_227 Jul. 21 19.49

Ora, estamos diante de mais um factoide desonesto, uma dobradinha óbvia entre imprensa e governo para abafar qualquer debate político sobre as atrocidades em curso no Congresso contra direitos sociais e trabalhistas, por iniciativa do próprio Executivo

Em poucos meses, as violências contra indígenas e movimentos sociais cresceram de maneira apavorante, como sempre acontece após golpes de Estado como esse.

As perspectivas ambientais, por sua vez, são preocupantes, porque o governo tem substituído pessoal técnico, que milita na área há muitos anos, por velhas raposas da política partidária.

Tudo que a direita acusa a esquerda de fazer, como farra fiscal e aparelhamento, ela o faz numa magnitude inimaginável, até porque a esquerda, por ser estranha ao status quo, precisa estar sempre provando que é comportada. A direita não. A direita não precisa provar nada.

Daí que o governo Temer tem praticado uma farra de gastos inacreditável, e isso sem oferecer nenhum contraponto em termos de investimento em educação, em saúde, em infra-estrutura. A farra é toda para pagar a conta do golpe. O exemplo mais chocante é o reajuste de 41% para o judiciário, o setor do Estado cujos salários e benefícios já são completamente desproporcionais em relação ao resto do país e do próprio serviço público.

Compare a renda de um juiz, de um desembargador, com a de um professor universitário. Olha que eu disse universitário, porque se eu mencionasse um professor de ensino básico ou médio, a diferença seria ainda mais brutal, possivelmente a disparidade mais brutal do planeta.

Esse tipo de disparate não é debatido na imprensa, nem é mencionado pelo governo, de modo que o debate político parece ter sido sequestrado pelo consórcio golpista.

Não subestimemos também a hegemonia que eles construíram na opinião pública. Claro, eles se beneficiam de uma situação de estabilidade social que eles não ajudaram a criar.

As grandes cidadelas dos recursos públicos, que são as pensões previdenciárias e os gastos com saúde e educação, já começaram a ser saqueadas, mas talvez seja preciso alguns meses até que a população desperte para as violências de que está sendo vítima.

quinta-feira

21

julho 2016

16

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 COMENTÁRIOS

  1. Roger Souza
  2. odorico nilo
  3. Delano SS
  4. Jose Carlos Silva
  5. Donizetti
  6. renato andretti
  7. Messias Franca de Macedo
    • Messias Franca de Macedo
      • Messias Franca de Macedo
    • Messias Franca de Macedo
  8. label vargas
  9. Maria Thereza G. de Freitas
  10. Ricardo Oliveira
  11. Denise Vírgula