Crônica de uma perseguição continuada - O Cafezinho

O Cafezinho

quarta-feira

7

maio 2014

6

COMENTÁRIOS

Crônica de uma perseguição continuada

Escrito por , Postado em Conteúdo Livre

A podridão da imprensa linchadora continua exalando seu cheiro insuportável, com apoio, infelizmente, de elementos importantes do Ministério Público e do Judiciário.

Publico abaixo duas notícias desalentadoras. O PGR chancela mais uma farsa midiática, ao dizer que “vê indicativos bastante claros” de que os condenados da Ação Penal 470 recebem “tratamento diferenciado”. Sim, doutor, recebem. Dirceu foi condenado a semi-aberto e está em regime fechado. O senhor mesmo já deu parecer em favor do trabalho de Dirceu, e Barbosa continua adiando.

Para agradar a mídia, contudo, Janot solta essa nota, com observações ridiculamente subjetivas, porque baseada em “indícios” que na verdade não existem. Janot chancela a história da “feijoada”, que nada mais era do que uma latinha de feijão que Delúbio comprou na cantina da Papuda, para comemorar seu aniversário ou coisa assim.

Será que Janot não viu que foram divulgadas fotos de Dirceu na Veja, o que violou sua privacidade? Que um assessor do PPS filmou o deputado, novamente violando sua privacidade? Isso não lhe diz nada sobre a situação de Dirceu na cadeia, exposto a todo o tipo de riscos inerentes a uma pessoa pública que continua sendo massacrada diuturnamente pela grande mídia? Que raios de regalias são essas?

E agora Dirceu terá a companhia de um homem com estado grave de cardiopatia, porque Barbosa escolheu 4 médicos violentamente antipetistas para escrever um relatório sobre a saúde do ex-deputado. Que regalias são essas? Não fosse a pressão midiática, qualquer médico recomendaria a prisão domiciliar para Genoíno.

É triste ainda ver o procurador tomando posição contra o governador do DF, num embate em que o governador foi o agredido, tanto pelo juiz Bruno Ribeiro, quanto por Joaquim Barbosa. O PGR tinha que se manter neutro nessa disputa, até porque não tem nada a ver com ele.

Vale a pena ler o segundo texto, um desabafo de Luis Nassif, cheio de indignação e revolta contra Joaquim Barbosa, que a cada dia se revela uma pessoa menor, um espírito mesquinho e vingativo, que vem alimentando um sentimento de justiçamento e truculência que só fazem mal ao Brasil.

O único ponto positivo que se pode tirar de notícias tão desanimadoras é que a truculência antipolítica patrocinada por mídia, STF e PGR, tem sido tão flagrante que agora estamos bem mais conscientes dos perigos de um golpe. E por estarmos mais conscientes sabemos que o campo progressista deve continuar pressionando o governo e o congresso para criarem instrumentos que reforcem o poder popular, para freiarmos o avanço de instituições não-democráticas aqui representadas por MP e Judiciário. Uma comunicação pública de qualidade, por exemplo, seria fundamental para fazer um contraponto à imprensa corporativa cada vez mais indiferente a qualquer escrúpulo ético relativo à isenção, à imparcialidade e à objetividade jornalística.

*

No Brasil 247.

PGR VÊ “INDICATIVOS CLAROS” DE REGALIAS NA PAPUDA

7 DE MAIO DE 2014 ÀS 18:50

Brasília 247 – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vê “indicativos bastante claros” de que os condenados na Ação Penal 470, o ‘mensalão’, receberam tratamento diferenciado no presídio da Papuda. Em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal, ele cita visitas ao ex-ministro José Dirceu e ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares em dias e horários não estabelecidos, café da manhã diferenciado e até “uma feijoada exclusiva para os internos da Ação Penal 470”.

O parecer de Janot tem como base documentos enviados ao Supremo pelo Ministério Público do Distrito Federal. O presidente do STF, Joaquim Barbosa, havia pedido a opinião do procurador-geral sobre o assunto. De acordo com o parecer, as informações “formam um sólido contexto em que não há espaço para nenhuma cogitação de perseguição à administração prisional. Muito pelo contrário. Há indicativos bastante claros que demandariam uma atitude imediata das autoridades responsáveis”.

Segundo Janot, uma inspeção da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal constatou um “clima de instabilidade e insatisfação” entre os presos. O café da manhã diferenciado e a feijoada foram citados em “depoimentos formais de internos do sistema prisional”. Ele afirmou também que parlamentares não podem ter acesso livre aos presídios sem controle dos órgãos públicos.

O parecer rebate ainda ofício do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), que disse que as irregularidades apontadas não foram devidamente explicitadas. “Inverossímil, para dizer o mínimo, a alegação da incompreensão sobre as questionadas medidas a serem adotadas para retomada do comando prisional”, disse Janot. Segundo ele, o governador do DF deu respostas com “caráter beligerante” ao STF, o tribunal, por sua vez, “acertou” ao apontar falta de disposição do governo nas apurações sobre as regalias, na opinião do chefe da PGR.

Nessa semana, a filha de José Dirceu rebateu críticas de que seu pai recebe tratamento diferenciado na Papuda. “A cela em que meu pai fica tem uma goteira logo na entrada. Não é bem iluminada. (…) A televisão é pequena. (…) Sua comida é a mesma de todos”, relatou Joana Saragoça (leia aqui). Na última quinta-feira, José Genoino retornou ao presídio, apesar de sofrer “cardiopatia extremamente grave”, segundo seu médico. Em recurso apresentado à Corte, a defesa do ex-deputado afirma que seu retorno à prisão será “pena de morte” (leia aqui).

*

No Nassif:

Barbosa adia mais uma vez decisão sobre Dirceu

qua, 07/05/2014 – 11:54 – Atualizado em 07/05/2014 – 11:57

Luis Nassif, em seu blog.

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa resolveu protelar mais uma vez a autorização para José Dirceu cumprir a pena em regime semiaberto.

Encaminhou ao Procurador Geral da República os argumentos da promotora de Brasília, que alegou ter recebido denúncia anônima sobre supostas ligações de Dirceu pelo celular.

Tem-se na presidência da mais alta corte uma pessoa notoriamente desequilibrada, apossando-se dos poderes conferidos à presidência para desmoralizar amplamente a casa e a própria imagem da Justiça.

Não se sabe até quando outros Ministros – e autoridades do Judiciário – aceitarão passivamente um comportamento que compromete todo o sistema judiciário, que passa à opinião pública a ideia de que a Justiça é seletiva e o magistrado pode recorrer a toda sorte de chicana contra os adversários e a favor dos apaniguados.

Mesmo que Barbosa se escude da forma mais indigna nos poderes constitucionais de presidente do Supremo, nada impede a manifestação pessoal de pessoas que respeitam e prezam o Judiciário.

JOSE-DIRCEU-1987-size-620

quarta-feira

7

maio 2014

6

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 COMENTÁRIOS

  1. Marina
  2. Manoel
  3. Francisco de Assis
  4. Messias Franca de Macedo